Os Melhores Chefs de Lisboa


São cada vez mais os chefs que inovam e reinterpretam os sabores nacionais e internacionais em Lisboa. E são cada vez mais os restaurantes, de alta cozinha ou com ambientes mais informais. Com ou sem estrela Michelin, são estes os chefs mais conceituados com restaurantes na capital, por ordem alfabética.



Alexandre Silva

Chef Alexandre Silva

Ainda era bastante jovem quando aceitou o desafio de chefiar um dos melhores restaurantes de Lisboa, o Bocca, que encerrou em 2012. Tornou-se conhecido depois da sua participação no concurso televisivo Top Chef, e acabou por assumir a chefia de um dos restaurantes mais badalados de Lisboa, o Bica do Sapato. Em 2015 abriu o seu próprio restaurante de alta cozinha, o Loco (distinguido com uma estrela Michelin), e ainda é possível provar algumas das suas especialidades no seu espaço no Mercado da Ribeira.


Bertílio Gomes

Chef Bertílio Gomes

Depois de ter aperfeiçoado o seu talento em Nova Iorque (no Culinary Institute of America), passou pelo restaurante Bica do Sapato em Lisboa e acabou por conquistar o título de Jovem Cozinheiro do Ano em 1998. A sua especialidade é a cozinha tradicional portuguesa, usando produtos menos tradicionais encontrados em Portugal. Até ao início de 2011 foi responsável pela cozinha do restaurante Casa da Comida, depois esteve vários anos no Chapitô à Mesa, e em 2019 abriu a Taberna Albricoque .


Diogo Noronha

Chef Diogo Noronha

Depois da sua formação no Natural Gourmet Institute for Health and Culinary Arts em Nova Iorque, permaneceu na Big Apple e estagiou no famoso Per Se, distinguido com três estrelas Michelin. Daí seguiu para Barcelona, para outra estrela Michelin, o Moo, e acabou por voltar para Lisboa, sendo um dos primeiros chefs do extinto Pedro e o Lobo em 2010. Foi aí que ficou conhecido pela sua valorização da gastronomia portuguesa, antes de se mudar para o restaurante Casa de Pasto. Em 2015 abriu também o Rio Maravilha. Em 2016 abandonou ambos restaurantes, e abriu o Pesca, que encerrou em 2020.


Henrique Sá Pessoa

Chef Henrique Sá Pessoa

Já foi chamado de "Jamie Oliver de Portugal," por apresentar o programa de televisão "Entre Pratos." O seu talento e criatividade desenvolveram-se em Londres, Sydney e Estados Unidos (no Pennsylvania Institute of Culinary Arts), antes de regressar a Lisboa em 2002 e criar o menu do restaurante Flores do Bairro (agora encerrado). Vencedor do concurso Chefe Cozinheiro do Ano em 2005, acabou por abrir o seu primeiro restaurante em 2009, dando-lhe o nome de Alma , que reabriu num novo espaço, no Chiado, em 2015. Tem ainda o mais informal Cais da Pedra e um espaço no Mercado da Ribeira. Em 2017 juntou a cozinha espanhola à portuguesa, criando o ibérico Tapisco .


Joachim Koerper

Chef Joachim Koerper

É alemão, mas tornou-se mestre da cozinha mediterrânica depois de se casar com uma espanhola e de ter passado por um restaurante em Espanha premiado com duas estrelas Michelin. Encontra-se agora em Lisboa, no restaurante Eleven , que também tem uma estrela. O segredo está na escolha dos ingredientes, nas técnicas inovadoras e na criação de belas apresentações no prato.


João Rodrigues

Chef João Rodrigues

Passou pelos restaurantes dos hotéis Sheraton e Ritz , e ainda pelo Bica do Sapato, e venceu o concurso Chefe Cozinheiro do Ano em 2007. Acabou por chegar ao Feitoria , onde tem sabido manter uma estrela Michelin ao longo dos anos. A cozinha que apresenta tem raízes nas tradições portuguesas, usando sempre produtos locais de pequenos produtores, mas misturando algumas influências orientais.


João Sá

Chef João Sá

Formado na Escola de Hotelaria e Turismo do Estoril, João Sá deu os seus primeiros passos como profissional no Viridiana, restaurante com uma estrela Michelin em Madrid, no hotel Sheraton Porto , e mais tarde passou a subchef de um dos restaurantes mais aclamados de Cascais. Acabou por abrir o seu próprio restaurante em Sintra, mas encontra-se agora em Lisboa, no Sála , onde aposta nos produtos sazonais portugueses em menus de degustação.


José Avillez

Chef José Avillez

Foto: Luis Mileu

A paixão pela cozinha surgiu logo em criança, e acabou por conseguir um estágio no famoso restaurante El Bulli em Espanha (várias vezes considerado o melhor restaurante do mundo). Depois dessa experiência, regressou a Lisboa e foi reconhecido com uma estrela Michelin no restaurante mais antigo da cidade, o Tavares . Foi aí que preparou menus criativos de cozinha contemporânea portuguesa até 2011, ano em que saiu para abrir os seus próprios restaurantes. Hoje tem vários na capital e no Porto, incluindo o Belcanto com duas estrelas Michelin.


Justa Nobre

Chef Justa Nobre

Com uma longa carreira a concentrar-se na cozinha tradicional portuguesa, Justa Nobre tornou-se ainda mais conhecida depois do seu papel de juri no programa televisivo Masterchef. Lançou o seu livro de receitas e continua a satisfazer os que procuram os sabores tradicionais, especialmente marisco, no seu restaurante, o Nobre .


Kiko Martins

Chef Kiko Martins

Estudou na escola de cozinha Le Cordon Bleu de Paris, e passou pelo famoso restaurante inglês The Fat Duck (premiado com três estrelas Michelin) e pelo Eleven em Lisboa. Publicou um livro e, mais tarde, em 2013, abriu o seu primeiro restaurante, O Talho , especializado em carne. Participou no programa de televisão Chefs’ Academy, e no final de 2014 abriu mais um espaço, A Cevicheria , desta vez para desenvolver novas formas de comer peixe.


Ljubomir Stanisic

Chef Ljubomir Stanisic

Foto: Fabrice Demoulin

Nasceu na Bósnia mas tornou-se chef em Portugal, desenvolvendo a sua cozinha criativa em Cascais antes de se mudar para Lisboa. Para garantir que todos os ingredientes usados no seu restaurante 100 Maneiras são sempre frescos, faz visitas diárias ao Mercado da Ribeira. Depois deixa a imaginação guiá-lo nas suas criações, que são muitas vezes apresentadas artisticamente. Tem ainda um segundo espaço, o Bistro 100 Maneiras .


Luís Baena

Chef Luis Baena

Teve formação ao lado de alguns dos melhores chefs do mundo, como Paul Bocuse, e experiência nos quatro cantos do globo (desde a Bélgica aos Estados Unidos e Hong Kong). No entanto, acabou por fixar-se em Lisboa, lançando um livro e mostrando o seu talento no restaurante do Tivoli Avenida Liberdade . Em 2009, abriu o seu próprio espaço com uma cozinha criativa e provocadora, o Manifesto, que encerrou em 2012, quando se mudou para Londres. Manteve-se no restaurante Notting Hill Kitchen durante quatro anos, mas regressou a Lisboa, onde é agora responsável pela cozinha do Mesa do Bairro .


Manuel Lino

Chef Manuel Lino

Esteve cinco anos em Espanha, com passagens pelos restaurantes Celler de Can Roca (três estrelas Michelin) e Mugaritz (duas estrelas), e no regresso a Portugal acabou por ser convidado para chefiar o restaurante Tabik na Avenida da Liberdade. Continua a aperfeiçoar as suas técnicas mais vanguardistas, sem esquecer a simplicidade dos produtos e dos sabores mais tradicionais, agora no seu restaurante em Campo de Ourique, o Audaz Gastropub .


Marlene Vieira

Chef Marlene Vieira

Começou por trabalhar num hotel no norte do país, depois esteve dois anos num restaurante português em Nova Iorque, e no regresso a Portugal entrou para o restaurante de um hotel de 5 estrelas. Em 2009 participou no concurso Chefe Cozinheiro do Ano, e abriu o seu primeiro restaurante, de cozinha portuguesa (o “Avenue,” na Avenida da Liberdade), que encerrou três anos mais tarde, quando nasceu a filha. Esteve afastada da cozinha, mas lançou um livro de receitas, e encontra-se neste momento num restaurante junto do Terminal de Cruzeiros de Lisboa, o Zunzum .


Nuno Bergonse

Chef Nuno Bergonse

Começou no Ritz , passou pelo Eleven e ainda pelo Moo em Barcelona, dois restaurantes com estrela Michelin. Depois foi um dos chefs a inaugurar o Pedro e o Lobo, considerado um dos melhores restaurantes de Lisboa, mas que acabou por encerrar em 2012. Decidiu aventurar-se no seu próprio restaurante, acabando por ter dois, o Duplex de cozinha criativa e a pizzaria La Puttana.
Neste momento já não faz parte desses projetos, e encontra-se no É Um Restaurante .


Nuno Mendes

Chef Nuno Mendes

Nasceu em Lisboa, formou-se em São Francisco (na California Culinary Academy), ganhou experiência no Japão e ao lado de chefs como Jean-Georges Vongerichten e Ferran Adrià, e acabou por ser considerado um dos melhores chefs do Reino Unido, depois de se mudar para Londres em 2006 e abrir o seu restaurante Viajante, premiado com estrela Michelin. Em 2019 regressou às origens, sendo hoje responsável pelo restaurante BAHR no topo do Bairro Alto Hotel . Apesar das influencias globais, a sua cozinha baseia-se nas tradições dos vários cantos de Portugal, do Alentejo aos Açores.


Olivier Costa

Chef Olivier

Conhecido pela criatividade na cozinha mediterrânica e na criação de conceitos, o sucesso de Olivier deve-se à atenção dada aos ingredientes e à inovação dentro das tendências internacionais. É hoje um dos empresários de maior sucesso no setor da restauração em Lisboa, tendo aberto vários restaurantes na cidade. Todos têm o selo "by Olivier" -- o K.O.B. , o Yakuza Lisboa , o Guilty e o Seen .
Já lançou um livro, comemorando a sua primeira década como restaurateur.


´

Pascal Meynard

Chef Pascal Meynard

Com formação na escola de Alain Ducasse em Paris e na The Culinary Institute of America, passou por restaurantes premiados em França e teve o seu próprio restaurante no Canadá. Tomou conta do Varanda, no Ritz em 2009, depois de passagens por outros restaurantes da cadeia Four Seasons, em Genebra e em Montreal. Recria clássicos da cozinha francesa, com um toque internacional.


Susana Felicidade

Chef Susana Felicidade

Começou a cozinhar com a avó no Algarve e foi no restaurante da família junto à praia que esteve quatro anos antes de se mudar para Lisboa. Abriu a sua primeira petiscaria na capital em 2008, e o sucesso imediato levou à abertura de outra. Hoje concentra-se no restaurante Pharmácia e no seu espaço no Mercado da Ribeira. Defende a cozinha tradicional portuguesa, mas para gostos contemporâneos, e tornou-se uma cara conhecida quando participou como jurado no programa televisivo Top Chef.


Vincent Farges

Chef Vincent Farges

Este chef francês acumulou experiência na Tailândia, Estados Unidos, Macau, Grécia e Marrocos, antes de se mudar para Portugal em 2005 e entrar no Fortaleza do Guincho em Cascais, onde foi premiado com estrela Michelin. Uma década depois mudou-se para um resort de luxo nos Barbados, mas está agora de regresso a Portugal, desta vez em Lisboa, onde abriu o Epur e também conseguiu a estrela Michelin. Usa as técnicas da alta cozinha francesa, mas também revela inspiração portuguesa e asiática.


Vítor Sobral

Chef Vitor Sobral

Várias vezes premiado, valoriza a cozinha portuguesa, rejuvenescendo-a com o seu toque pessoal. A sua criatividade tem sido apresentada em alguns dos melhores restaurantes de Lisboa, e tem agora os seus próprios espaços, o restaurante Tasca da Esquina e a Peixaria da Esquina . A sua filosofia é apresentar uma cozinha de qualidade a preços acessíveis, em espaços sofisticados mas descontraídos.