Os Melhores Bares no Bairro Alto


O Bairro Alto já não é o que era nos anos 80 e 90. De ponto de encontro da população mais boémia (dando origem a alguns dos maiores projetos artísticos da cidade), passou a destino de autênticas romarias aos fins de semana, de jovens e turistas atraídos pelos bares e copos baratos. Recentemente as multidões mudaram-se para o Cais do Sodré, e hoje muitos dos melhores espaços da noite lisboeta encontram-se espalhados pela cidade. No entanto, parte do espírito do velho Bairro Alto ainda sobrevive, convidando para jantares e para ficar descontraídamente nas ruas centenárias, bebendo em boa companhia. Eis os espaços que deve procurar:




Park

Calçada do Combro, 58
215 914 011
Abre todos os dias

Park Bar, Lisboa

É um dos melhores terraços da cidade e um dos melhores bares do Bairro Alto. Abre à tarde para copos ao pôr do sol, e é animado pela noite dentro por um DJ ou por música ao vivo -- sempre com vista para a Ponte 25 de Abril.


Artis

Rua do Diário de Notícias, 95
213 424 795
Encerra à segunda-feira

Artis, Lisboa

É, para muitos, o principal destino do Bairro há já vários anos. É um bar de vinhos que não é muito grande mas onde cabe um público variado, que se dirige aqui não só para beber mas sobretudo para conviver, conversar e acompanhar o vinho (todos nacionais) com petiscos. O destaque vai para o tradicional chouriço que se assa à mesa.


Páginas Tantas

Rua do Diário de Notícias, 85
966 249 005
Encerra à segunda-feira

Páginas Tantas, Lisboa

É dos poucos bares do bairro onde não se fica a beber à porta mas sim sentado no interior. Isso porque é mais espaçoso do que a concorrência, e sobretudo porque oferece um ambiente descontraído ao som de jazz. Destaca-se assim há duas décadas, e é dos poucos espaços com música ao vivo.


The Old Pharmacy

Rua do Diário de Notícias, 83
920 230 989
Abre todos os dias

Old Pharmacy, Lisboa

Nesta antiga farmácia, o vinho é agora o melhor remédio. Quase todo o interior foi preservado, e os armários que dantes guardavam medicamentos são agora preenchidos por garrafas. Há literalmente centenas de vinhos, todos de origem nacional, que podem ser provados a copo. Queijos e enchidos acompanham nas pipas que fazem de mesa.


Cheers

Rua da Atalaia, 126
939 158 344
Encerra à terça-feira

Cheers, Lisboa

Este bar ocupa o espaço da mítica discoteca Frágil, que foi um dos principais destinos noturnos da cidade durante mais de três décadas. Os antigos clientes poderão sentir alguma nostalgia ao vê-lo agora transformado em bar ao estilo de pub inglês, mas este não deixa de ser um dos melhores bares do Bairro Alto. Abre mais cedo do que a concorrência, antes da hora de jantar, e vai servindo uma variedade de bebidas pela noite dentro, num ambiente divertido e descontraído.


Portas Largas

Rua da Atalaia, 105
213 466 379
Abre todos os dias

Portas Largas, Lisboa

É, desde os anos 90, um dos bares mais concorridos do Bairro Alto. É uma antiga taberna espaçosa, mas muitos preferem ficar à porta. O ambiente descontraido atrai todo o tipo de clientes, dos mais novos aos mais velhos, turistas e lisboetas, hetero e gay. A música vai do fado à pop.


Tasca do Chico

Rua do Diário de Notícias, 39
961 339 696
Abre todos os dias
Preço por pessoa: €15

Tasca do Chico, Lisboa

Vozes amadoras ou profissionais enchem este pequeno espaço de alma. Conhecido pelas suas autênticas atuações de fado vadio, mantém as antigas tradições das típicas tascas lisboetas, na decoração e no ambiente, e nunca pode faltar o chouriço assado.


Maria Caxuxa

Rua da Barroca, 6-12
213 461 311
Encerra ao domingo

Maria Caxuxa, Lisboa

Abriu em 2005 mas parece que fez sempre parte do bairro. É uma antiga fábrica de bolos e mantém um forno a lenha, ao que se juntam cartazes de eventos culturais, rádios e sofás antigos. A decoração muda com alguma frequência, mas conserva-se o ambiente retro, que atrai sempre um público um pouco mais maduro. A música varia entre o pop-rock e house.


Grapes & Bites

Rua do Norte, 81
213 472 431
Abre todos os dias

Grapes & Bites, Lisboa

Foi dos primeiros a introduzir a moda dos vinhos no bairro, e hoje funciona também como restaurante. Cestos de pão, queijos e enchidos acompanham os vinhos nacionais servidos a copo, nas mesas de jantar ou sobre grandes pipas transformadas em mesas. Atrai um público variado, lisboeta e turista.


Majong

Rua da Atalaia, 3
915 214 803
Abre todos os dias

Majong, Lisboa

Tem sofrido algumas remodelações ao longo dos anos (é um dos bares mais antigos do bairro), mas a decoração é sempre minimalista, com projeções de vídeos e uns característicos candeeiros em forma de couve. Foi dos primeiros a atrair um público alternativo ligado às artes, mas é hoje mais democrático. Passa música variada, e as suas grandes janelas convidam a ficar a observar o movimento do bairro.