Tascas e Restaurantes de Cozinha Tradicional Portuguesa

Onde comer à moda antiga e a preços acessíveis


A Taberna da Rua das Flores

Rua das Flores, 103 (Chiado)
213 479 418
Encerra ao domingo
Preço por pessoa: €20

A Taberna da Rua das Flores, Lisboa

Esta pequena "taberna" recorda os espaços lisboetas de outros tempos e segue algumas receitas já esquecidas. Os pratos variam todos os dias, mas baseiam-se sempre na cozinha tradicional portuguesa. Não aceita reservas, por isso é habitual alguma espera à porta.




As Salgadeiras

Rua das Salgadeiras, 18 (Bairro Alto)
213 421 157
Encerra à segunda-feira
Preço por pessoa: €35

As Salgadeiras, Lisboa

Aqui o destaque vai para os pratos de bacalhau e para a cozinha regional, sobretudo do Alentejo e do norte do país. O espaço é uma antiga padaria, e mantém os arcos originais e o forno antigo. É um dos restaurantes mais requintados do Bairro Alto, e tem um serviço simpático e atencioso.


Bonjardim

Travessa de Santo Antão, 11 (Avenida da Liberdade)
213 424 389
Abre todos os dias
Preço por pessoa: €25

Bonjardim, Lisboa

É o “rei dos frangos” desde os anos 50. Todos os guias turísticos o recomendam, por isso enche-se de clientes habituais e de turistas, que preferem ficar na esplanada. Há quem diga que é onde se come o melhor frango assado no espeto em Lisboa, e mantém os preços razoáveis.


Bota Alta

Travessa da Queimada, 35-37 (Bairro Alto)
213 427 959
Encerra ao domingo
Preço por pessoa: €20

Bota Alta, Lisboa

Este pequeno restaurante com um estilo rústico é um dos mais antigos do Bairro Alto. Aberto desde os anos 70, oferece uma cozinha caseira, seguindo as tradições das várias regiões do país, de Trás-os-Montes ao Algarve. O ambiente é sempre animado e informal.


Casa do Alentejo

Rua Portas de Santo Antão, 58 (Avenida da Liberdade)
213 405 140
Abre todos os dias
Preço por pessoa: €20

Casa do Alentejo, Lisboa

Pelo nome, sabe-se que aqui serve-se a cozinha do Alentejo. O que não se imagina é que a “casa” é um belo palacete do século XVII, que é hoje um clube alentejano. O restaurante fica no primeiro andar, e para lá chegar atravessa-se um deslumbrante pátio em estilo mourisco. Há mesas na monumental sala de baile em estilo Luís XVI em dias especiais, mas geralmente os almoços e jantares são servidos noutras salas mais pequenas, com paredes cobertas de belos azulejos datados dos séculos XIX e XX.


Cervejaria Trindade

Rua Nova da Trindade, 20C (Chiado)
213 423 506
Abre todos os dias
Preço por pessoa: €30

Cervejaria Trindade, Lisboa

É um dos restaurantes históricos de Lisboa, pois ocupa um espaço que começou como refeitório de um convento. Abriu como cervejaria em 1836, e preserva os azulejos coloridos do século XIX. É conhecido pelo marisco e pelos bifes, e para terminar a refeição há doces conventuais.


Fidalgo

Rua da Barroca, 27 (Bairro Alto)
213 422 900
Encerra ao domingo
Preço por pessoa: €20

Fidalgo, Lisboa

É um dos restaurantes mais antigos do Bairro Alto, mas renovou-se em 2010, mantendo a cozinha tradicional portuguesa e os preços razoáveis. Tem pratos do dia e é dos poucos no bairro que abrem ao almoço.


Lisboa à Noite

Rua das Gáveas, 69-71 (Bairro Alto)
213 468 557
Encerra ao domingo
Preço por pessoa: €35

Lisboa à Noite, Lisboa

Antes de abrir em 2003, foi uma casa de fados e, muito antes disso, uma cavalariça. Mantém as argolas onde se prendiam os cavalos e painéis de azulejos a imitar o barroco. É um belo espaço para um jantar mais requintado no Bairro Alto, misturando a cozinha tradicional portuguesa e contemporânea. Os pratos mais recomendados são os de bacalhau, e vale a pena guardar espaço para as sobremesas.


Maçã Verde

Rua dos Caminhos de Ferro, 84 (Alfama)
218 868 780
Encerra ao domingo
Preço por pessoa: €15

Maçã Verde, Lisboa

É das poucas tascas que sobrevivem em Lisboa onde ainda se pode encontrar comida caseira em doses generosas e a preços acessíveis. Os seus grelhados são muito procurados, sobretudo ao almoço, quando também há pratos do dia.


Momento HB

Rua da Rosa, 151 (Bairro Alto)
213 420 765
Encerra à segunda-feira
Preço por pessoa: €25

Momento HB, Lisboa

HB é Helder Branco, o chef que apresenta aqui uma seleção de pratos de cozinha tradicional portuguesa com o seu toque pessoal. O ambiente é acolhedor, convidando a ficar à conversa enquanto se partilham petiscos.


O Churrasco

Rua das Portas de Santo Antão, 83-85 (Avenida da Liberdade)
213 423 059
Abre todos os dias
Preço por pessoa: €25

O Churrasco, Lisboa

O nome não engana -- aqui as especialidades saem da brasa. O frango é o mais pedido, mas também há peixes do dia e uma variedade de opções de carne e peixe. Fica numa das ruas mais turísticas da cidade, mas os clientes dividem-se entre locais e turistas, que procuram ficar na pequena esplanada.


O Frade

Calçada da Ajuda, 14 (Belém)
939 482 939
Encerra à segunda-feira
Preço por pessoa: €20

O Frade, Lisboa

Fica a poucos passos do Museu Nacional dos Coches, mas não é um restaurante turístico. É um projeto de dois primos, que recebem os clientes como família, num ambiente convivial, sentando-os à volta de um balcão como se fosse uma grande mesa numa sala de jantar. Servem os pratos que conhecem desde a infância no Alentejo, mas também há especialidades algarvias. Os vinhos DOC, de produção biológica, são a melhor maneira de acompanhar os pratos, que variam regularmente.


O Pitéu da Graça

Largo da Graça, 95-96 (Graça)
218 871 067
Abre todos os dias
Preço por pessoa: €20

O Pitéu da Graça, Lisboa

É talvez o restaurante mais famoso da Graça, e a razão é a boa comida portuguesa, tradicional, servida em doses generosas. O bacalhau à Pitéu é a especialidade da casa, mas a carta divide-se em pratos de peixe e de carne, muitos deles com origem no Alentejo. O espaço é decorado com reproduções de azulejos rococó, e é por vezes barulhento, mas o objetivo é proporcionar refeições descontraídas.


Sinal Vermelho

Rua das Gáveas, 89 (Bairro Alto)
213 461 252
Encerra ao domingo
Preço por pessoa: €25

Sinal Vermelho, Lisboa

Abriu como um pequeno restaurante nos anos 80, mas foi alargado, e hoje serve perto de 70 clientes, no interior decorado com azulejos e na esplanada. Mantém a cozinha tradicional de sempre, com opções de carne e de peixe, e ainda vegetarianas.


Solar dos Presuntos

Rua das Portas de Santo Antão, 150 (Avenida da Liberdade)
213 424 253
Encerra ao domingo
Preço por pessoa: €35

Solar dos Presuntos, Lisboa

É provavelmente o restaurante mais recomendado aos que procuram conhecer a autêntica cozinha portuguesa. Dividido em cinco salas, decoradas com caricaturas e fotografias de figuras públicas que aqui jantaram, encontra-se sempre cheio, por isso reserva é quase obrigatória. E vale mesmo a pena jantar aqui sempre que possível, pois nenhum outro restaurante em Lisboa oferece as iguarias do Minho e de outras regiões do país.


Taberna Albricoque

Rua Caminhos de Ferro, 98 (Alfama)
218 861 182
Encerra à segunda-feira e terça-feira
Preço por pessoa: €20

Taberna Albricoque, Lisboa

Esta “taberna” é uma viagem até ao Algarve sem sair de Lisboa. Os pratos regionais têm o toque de Bertílio Gomes, um dos chefs mais conceituados de Lisboa. Usa ingredientes frescos selecionados de produtores nacionais, por isso há novidades todas as semanas, e sugestões diferentes ao almoço. Tudo pode ser acompanhado por um bom vinho português.


Taberna Sal Grosso

Calçada do Forte, 22 (Alfama)
215 982 212
Abre todos os dias
Preço por pessoa: €20

Lisboa

Encontra-se escondido entre o Museu Militar e a estação de Santa Apolónia, mas foi rapidamente descoberto por os que procuram boa cozinha tradicional e refeições a preços razoáveis num bairro turístico. É um espaço muito pequeno que recorda as tascas antigas, com pratos do dia, que se juntam aos petiscos habituais, apresentados numa ardósia na parede.


Tasca da Esquina

Rua Domingos Sequeira, 41C (Campo de Ourique)
210 993 939
Encerra ao domingo
Preço por pessoa: €25

Tasca da Esquina, Lisboa

É um restaurante de petiscos e não só, oferecendo o que há de mais genuíno na cozinha portuguesa, através da criatividade e da experiência do conhecido chef Vitor Sobral. Apesar da qualidade, não se trata de um restaurante de luxo, e o ambiente é descontraído.


Toma Lá Dá Cá

Travessa do Sequeiro, 38 (Santa Catarina)
213 479 243
Encerra ao domingo
Preço por pessoa: €15

Toma Lá Dá Cá, Lisboa

Sim, ainda é possível encontrar um restaurante de cozinha tradicional portuguesa servida em doses generosas e a preços acessíveis. E não é preciso ir muito longe, pois este encontra-se bem no centro, entre o Bairro Alto, a Bica e o Miradouro de Santa Catarina. Será apenas precisa alguma paciência para ficar à espera de mesa à porta (não aceita reservas), mas vale a pena aguardar por um lugar numa das mesas compridas ou redondas, onde se juntam grupos de lisboetas e turistas.


Velho Macedo

Rua da Madalena, 117 (Baixa)
218 873 003
Abre todos os dias
Preço por pessoa: €25

Velho Macedo, Lisboa

A Baixa é hoje preenchida por restaurantes turísticos, mas este é uma exceção. Ocupa o espaço de uma antiga leitaria, e é há muito conhecido por seguir as receitas tradicionais portuguesas, muitas delas do norte de país. Tem várias opções para entradas e pratos em doses para duas pessoas.


Zé dos Cornos

Beco dos Surradores, 3 (Mouraria)
218 869 641
Encerra ao domingo
Preço por pessoa: €20

Zé dos Cornos, Lisboa

O proprietário original e os chifres de um boi que decoram uma parede deram o nome a esta tasca. Há décadas que mantém a tradição, na decoração, na cozinha e no ambiente. A comida caseira segue as receitas da família, e garante enchentes diárias. Todos os dias há pratos especiais, que vão de um muito apreciado entrecosto grelhado ao cozido à portuguesa.


Zé Varunca

Travessa das Mercês, 16 (Bairro Alto)
210 151 279
Encerra ao domingo
Preço por pessoa: €20

Zé Varunca, Lisboa

Este restaurante é uma homenagem ao Alentejo -- na decoração, na comida e até na louça de barro em que são servidos os pratos. Para começar cada refeição, é sugerido pão quente com pasta de enchidos, e para terminar, uma das típicas sobremesas regionais (o doce da casa vem servido num penico!). Pelo meio, pode-se desfrutar de uma açorda alentejana, de uma sopa de tomate, ou de outros pratos regionais, muitos deles usando ingredientes chegados diretamente de Estremoz.