Quer Viver em Lisboa? - O Guia dos 10 Principais Bairros


Uma das mais baixas taxas de criminalidade da Europa, sol abundante, temperaturas amenas e um estilo de vida tranquilo — são estes os ingredientes que dão a Lisboa uma elevada qualidade de vida. Depois do êxodo para os subúrbios desde a década de 1970, que deixou o centro histórico abandonado, a capital portuguesa está lentamente a reconquistar moradores. São na maioria solteiros de classe média-alta, muitos deles estrangeiros, sobretudo de outros países europeus. Casas novas ou reabilitadas no centro da cidade podem estar fora do alcance da maioria dos lisboetas, mas estrangeiros encontram apartamentos de luxo a metade ou a um terço do preço das suas cidades de origem. Mas quais são os melhores bairros para viver em Lisboa? A resposta depende de a quem perguntar e do ambiente que procura. LisbonLux analisou ​​os principais bairros da cidade, tendo em conta todos os aspectos positivos e negativos, para ajudar na decisão de onde viver em Lisboa.



Alfama e Graça

Alfama, Lisboa

COMO É: Uma aldeia. É a zona mais antiga da cidade, situada à volta do castelo (Graça) e descendo a colina até ao rio (Alfama). Para muitos é o bairro mais desejável, para outros o menos.
QUEM VIVE AQUI: Pensionistas, famílias de classe média-baixa e baixa que vivem aqui há várias gerações desde a comunidade piscatória original, imigrantes e jovens solteiros.
POSITIVO: Tem o encanto, a alma e o ambiente de aldeia com que muitos sonham. As casas reabilitadas podem ser bons negócios, e muitas oferecem vista de rio. As melhores encontram-se na zona da Sé.
NEGATIVO: É um labirinto complicado de ruelas medievais impenetráveis por carros, e espaço para estacionamento é praticamente inexistente. Um grande número de edifícios precisa de reabilitação. A maioria dos apartamentos são pequenos, e quase todos sem elevador.


Avenidas Novas

Avenidas Novas, Lisboa

COMO É: Uma mistura de bela arquitetura premiada e edifícios de escritórios e apartamentos pouco atraentes, construídos no século XX em largas avenidas.
QUEM VIVE AQUI: Classe média e famílias de classe média-alta.
POSITIVO: Boa oferta de habitação espaçosa, bons acessos e comércio.
NEGATIVO: Trânsito. Falta de ambiente e novas habitações são caras.


Bairro Alto

Bairro Alto, Lisboa

COMO É: O bairro boémio da vida noturna. Descendo a colina estão os pequenos bairros da Bica e de Santa Catarina com um ambiente indistinguível do do Bairro Alto.
QUEM VIVE AQUI: Boémios, pensionistas e imigrantes.
POSITIVO: Fica mesmo no centro e tem animação (acesso a restaurantes, comércio e vida noturna)
NEGATIVO: É dificil combater a sujidade depois das noites de copos nas ruas. É barulhento à noite e muitos dos edifícios precisam de ser reabilitados.


Baixa

Baixa, Lisboa

COMO É: Grandes ruas paralelas criadas para comércio de especialidade, mas agora sobretudo ocupadas por hotéis, sedes de bancos e lojas turísticas.
QUEM VIVE AQUI: Muito pouca gente, mas isso tem vindo a mudar, graças a investidores de meia-idade.
POSITIVO: É o coração da cidade, grande parte dos apartamentos são espaçosos e existem muitas oportunidades para investimento.
NEGATIVO: Barulhento durante o dia.


Belém, Ajuda & Restelo

Belém, Lisboa

COMO É: Belém é o último bairro da cidade antes dos subúrbios da linha de Cascais. Situa-se onde o Tejo encontra o Atlântico, e é onde estão muitos dos grandes monumentos e museus da cidade. Subindo a colina está o bairro da Ajuda e o bairro afluente do Restelo.
QUEM VIVE AQUI: Classe média e média-baixa em Belém e Ajuda, e uma classe alta “low profile” no Restelo.
POSITIVO: A localização junto ao rio com espaços verdes e a tranquilidade do Restelo.
NEGATIVO: Fica longe do centro e não tem metro (apesar de haver boas ligações de comboio, autocarro e elétrico). Os preços altos fazem com que o Restelo não esteja ao alcance de todos, e Belém é um bairro “turistificado.”


Campo de Ourique

Campo de Ourique, Lisboa

COMO É: Um bairro residencial animado.
QUEM VIVE AQUI: Famílias de classe média-alta e uma nova classe média jovem.
POSITIVO: Diversidade de comércio e um verdadeiro ambiente de bairro que lhe dão uma boa qualidade de vida.
NEGATIVO: Não tem estação de metro e os preços das habitações são acima da média.


Chiado

Chiado, Lisboa

COMO É: O bairro mais sofisticado da cidade, conhecido pelo seu comércio (na sua maioria, lojas internacionais), cafés e teatros.
QUEM VIVE AQUI: Jovens profissionais de classe média-alta e alta.
POSITIVO: Oferta cultural. Perfeito para quem não tem carro.
NEGATIVO: Caro. Falta de estacionamento.


Parque das Nações

Parque das Nações, Lisboa

COMO É: O local da Expo 98 que se tornou um dos maiores projetos de regeneração urbana na Europa; agora um bairro residencial e comercial conhecido pela emblemática arquitetura contemporânea.
QUEM VIVE AQUI: Classes alta e média-alta, e “novos ricos”.
POSITIVO: Agradável localização junto ao rio com espaços verdes. Bons acessos em transportes públicos, espaço para estacionamento, e muitos dos apartamentos têm garagem.
NEGATIVO: Longe do centro. Tem ambiente de subúrbio e falta-lhe a alma do centro histórico.


Príncipe Real

Príncipe Real, Lisboa

COMO É: Um bairro residencial de charme com belos edifícios, agora conhecido pelas suas lojas sofisticadas.
QUEM VIVE AQUI: Uma boa mistura de gente, de várias faixas etárias e sociais.
POSITIVO: Zona tranquila com jardins. Aqueles que preferem viver sem carro apreciarão estar a passos do centro de tudo. Bom comércio de rua.
NEGATIVO: Escassez de estacionamento para aqueles que não podem viver sem carro. Rendas e preços de casas novas são altos.


Santos e Lapa

Santos, Lisboa

COMO É: Santos é um bairro à beira-rio conhecido como um pequeno “design district” pelas suas lojas de design, e Lapa é o bairro das embaixadas e dos palacetes.
QUEM VIVE AQUI: Classe média em Santos e classe alta (aristocracia) na Lapa.
POSITIVO: Zona residencial tranquila. Condomínios da Lapa são de muito boa qualidade.
NEGATIVO: Preços elevados. Alguns edifícios em Santos precisam de reabilitação. Mau estacionamento e poucos transportes (não há estação de metro).